Postagem em destaque

A incrível velocidade do Go

Imagem
Um dos motivos que gosto do Go (a linguagem de programação, não o jogo), é que ele é extremamente rápido. E não estou falando de utilizar goroutines pois aí é covardia. Estamos migrando um sistema de Coldfusion para Go e PHP e uma das rotinas insere um registro no banco de dados no início e outra no fim do processo. Pense como se fosse um log, mas um log específico para essa rotina. Dessa forma: 2023-05-18 17:45:03. 687     ... [processaImagem] Incorporando imagem 2023-05-18 17:45:03. 688     ... [processaImagem] Imagem incorporada Entre o inicio e o final do processamento levou 1ms. Até aí, tudo bem, se não fosse o fato dessa tabela ter o campo timestamp como parte da chave primária. Se reparar, o tempo é definido em milissegundos. Com o Coldfusion esse processo dura cerca de 20ms. Simplesmente migrando para Go, o tempo caiu muito, para menos de 1ms e assim, começou a dar erro de chave duplicada. A solução? Depende, sempre depende. No nosso contexto, a mais simples foi feita, pois nã

Impressões sobre o Doom para Xbox One

Review e primeiras impressões




Como não poderia deixar de ser o jogo apresenta gráficos impressionantes mas a lista (de um item só) de prós acaba aí!

Antes mesmo de dar o primeiro tiro, tive que pausar o jogo e modificar uma opção de tela que fazia com que ela "borrasse" ao virar para um lado ou outro. Parece que se está bêbado.

O jogo é confuso em alguns momentos, com controles que não foram pensados direito para o usuário. Se você jogava o Doom antigo, principalmente no PC, vai notar a clara diferença com relação ao atual. Um exemplo é que ao segurar o botão que troca de arma, aparecem as armas disponíveis mas para mudar temos que usar um dos direcionais em conjunto e fica inviável de fazer isso na correria!

Mas o jogo já começa quente, vc já sai mandando bala! Com arma na mão e atirando, os "monstrinhos" surgem do nada como se fossem teletransportados o que dá um ar de que nunca vai acabar e gera uma frustração.

Em alguns momentos você se sente feito um idiota, como um hamster numa roda, porque se ficar parado vira alvo fácil, então o negócio é correr por aí atirando e voltando, pois as áreas só são liberadas após a "presença infernal" ter sido eliminada.

Nessa correria, você pode perder segredos, munições e maletas de saúde.

O novo sistema de finalização sei lá o que (quando os monstros ficam cambaleantes) exige pressionar o RS, o que - para mim pelo menos - é muito incômodo sendo que tem botões "livres" no joypad. Em resumo, você atira um monte no filho da mãe e quando ele ficar cambaleante você tem a opção de finalizá-lo apertando o RS. Isso gera um golpe com arma/mão muito brutal e muito bacana, mas poderia ter sido facilitado deixando a opção, como padrão, de pressionar o X por exemplo.

Já no quesito enredo, a primeira voz que surge na batalha é de um "administrador" da cidadela, mas a dublagem é horrível, sendo necessário ativar as legendas (!) para poder entender! Para entender o que está acontecendo, você tem que parar a correria e ler todas as inúmeras opções que aparecem de explicações sobre monstros, armas, etc.

No mais não vale R$ 250,00 nem aqui e nem na China! Uns cem temers estava bem pago!

----------
Lembrando que essa é uma opinião minha e de jogador profissional de Doom desde a época do primeiro Wolfenstein!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Netflix não mostra ícone de streaming

Google Hacking

FTP não funciona no PHP