Eles, rôbos

“Quando Stephen Hawking e Elon Musk nos alertaram, alguns acharam engraçado, outros ficaram receosos mas poucos levaram a serio. Hoje, apenas 15 anos depois, vimos que infelizmente, eles estavam certos.

Quando a sonda alienígena pousou, todos ficaram imaginando como seria a aparência desses seres. A surpresa, para a maioria, foi grande, quando surgiu um robô...”

O texto acima, bem que poderia ter sido tirado de um livro de ficção (ou não), mas se parar para pensar é mais do que provável que nosso primeiro contato ocorra dessa forma. Imagine uma viagem espacial, curta, de um ano: o ser humano precisa de banheiro, cama, recreação, alimentação. Talvez até de um simulador de gravidade. Tudo isso representa espaço e peso (já tentou imaginar quanto de água e alimentos, uma pessoa consome em um ano?). A nave precisa ser maior, para abrigar todas essas necessidades, e uma nave maior, requer mais combustível.

Agora, pense em trocar o ser humano por um robô: não precisa de banheiro, cama, recreação ou alimentação. O espaço necessário é reduzido drasticamente.

Com o avanço da IA e da robótica, em pouco tempo conseguiremos enviar robôs para os confins do universo. Agora, imagine uma civilização apenas 10.000 anos mais avançada que a nossa. Lembre-se que os computadores surgiram há poucas décadas.

Pensando bem, acho que Marte vai receber um robô (quando falo em robô, não necessariamente precisa ter a aparência humanóide, "basta" ter inteligência suficiente para tomar decisões sozinho), antes de um ser humano.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como aprender a programar

Netflix não mostra ícone de streaming

Google Hacking