Postagem em destaque

A incrível velocidade do Go

Imagem
Um dos motivos que gosto do Go (a linguagem de programação, não o jogo), é que ele é extremamente rápido. E não estou falando de utilizar goroutines pois aí é covardia. Estamos migrando um sistema de Coldfusion para Go e PHP e uma das rotinas insere um registro no banco de dados no início e outra no fim do processo. Pense como se fosse um log, mas um log específico para essa rotina. Dessa forma: 2023-05-18 17:45:03. 687     ... [processaImagem] Incorporando imagem 2023-05-18 17:45:03. 688     ... [processaImagem] Imagem incorporada Entre o inicio e o final do processamento levou 1ms. Até aí, tudo bem, se não fosse o fato dessa tabela ter o campo timestamp como parte da chave primária. Se reparar, o tempo é definido em milissegundos. Com o Coldfusion esse processo dura cerca de 20ms. Simplesmente migrando para Go, o tempo caiu muito, para menos de 1ms e assim, começou a dar erro de chave duplicada. A solução? Depende, sempre depende. No nosso contexto, a mais simples foi feita, pois nã

ABS (Arquitetura do Bom Senso): A Importância do Bom Senso na Arquitetura de Software

Durante as últimas semanas acompanhei algumas discussões sobre arquitetura de software e clean code. Por isso resolvi escrever esse artigo.

A arquitetura de software é fundamental no desenvolvimento de sistemas de alta qualidade e desempenho. É responsável por definir a estrutura e organização do código-fonte, as interações entre os diferentes componentes e as diretrizes para garantir a escalabilidade, manutenibilidade e extensibilidade do sistema. No entanto, além de técnicas e padrões estabelecidos, existe um fator crucial que muitas vezes é negligenciado: o bom senso. Neste artigo, exploraremos a importância do bom senso na arquitetura de software, apresentando a ideia da ABS (Arquitetura do Bom Senso) e como ela pode impactar positivamente os projetos de desenvolvimento.

O que é a ABS (Arquitetura do Bom Senso)?

A ABS (Arquitetura do Bom Senso) é uma abordagem que destaca a importância de aplicar o bom senso durante o processo de arquitetura de software. Ela reconhece que as melhores práticas e diretrizes estabelecidas são importantes, mas também ressalta a necessidade de considerar o contexto específico do projeto, as necessidades dos usuários e as restrições impostas pelo ambiente.

Por que o bom senso é importante na arquitetura de software?

  • Contextualização do projeto: Cada projeto possui requisitos, restrições e objetivos específicos. O bom senso permite avaliar esses elementos e adaptar a arquitetura para atender às necessidades do projeto de forma eficiente. Não existe uma solução única para todos os casos, e o bom senso nos ajuda a encontrar o equilíbrio certo.
  • Usabilidade e experiência do usuário: Uma boa arquitetura de software deve priorizar a usabilidade e a experiência do usuário. O bom senso nos permite analisar as interações entre os diferentes componentes do sistema e tomar decisões que melhorem a navegabilidade, a eficiência e a intuitividade da aplicação.
  • Escalabilidade e manutenibilidade: O bom senso também é essencial para garantir que a arquitetura seja escalável e de fácil manutenção. Isso envolve a escolha de padrões e abordagens que facilitem a adição de novos recursos e a correção de problemas sem comprometer a estabilidade do sistema.

Diretrizes para aplicar a ABS (Arquitetura do Bom Senso):

  • Conheça o contexto: Compreenda os requisitos, restrições e objetivos do projeto, bem como as expectativas dos usuários. Isso ajudará a moldar uma arquitetura adequada ao ambiente específico.
  • Avalie as melhores práticas: Familiarize-se com as melhores práticas e diretrizes estabelecidas na área de arquitetura de software. Entenda seus benefícios e limitações para aplicá-los de forma adequada.
  • Analise os trade-offs: Reconheça que nem sempre é possível atender a todos os requisitos de forma ideal. É necessário analisar os trade-offs e tomar decisões embasadas no contexto e nas necessidades do projeto.
  • Mantenha a simplicidade: Busque soluções simples e elegantes. Evite a complexidade desnecessária, pois isso pode dificultar a compreensão, manutenção e evolução do sistema.
  • Adapte-se às mudanças: Esteja aberto a mudanças e atualizações na arquitetura à medida que o projeto evolui. O bom senso exige flexibilidade e adaptação às novas circunstâncias.

A arquitetura de software é uma disciplina que envolve conhecimento técnico, padrões estabelecidos e melhores práticas. No entanto, a aplicação do bom senso é o fator crucial que pode diferenciar um sistema bem-sucedido de um que falha em atender às expectativas. A ABS (Arquitetura do Bom Senso) destaca a importância de considerar o contexto, as necessidades dos usuários e as restrições impostas pelo ambiente. Ao aplicar o bom senso, os arquitetos de software podem tomar decisões mais embasadas, resultando em sistemas mais eficientes, escaláveis e fáceis de manter. Portanto, não subestime o poder do bom senso na arquitetura de software - ele pode ser o elemento chave para o sucesso do seu projeto.

Sugiro a leitura do artigo Curiosity e suas 2,5 milhões de linhas de código, principalmente a parte onde mostro as regras de programação da JPL/Nasa. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Netflix não mostra ícone de streaming

Google Hacking

FTP não funciona no PHP