Postagem em destaque

A incrível velocidade do Go

Imagem
Um dos motivos que gosto do Go (a linguagem de programação, não o jogo), é que ele é extremamente rápido. E não estou falando de utilizar goroutines pois aí é covardia. Estamos migrando um sistema de Coldfusion para Go e PHP e uma das rotinas insere um registro no banco de dados no início e outra no fim do processo. Pense como se fosse um log, mas um log específico para essa rotina. Dessa forma: 2023-05-18 17:45:03. 687     ... [processaImagem] Incorporando imagem 2023-05-18 17:45:03. 688     ... [processaImagem] Imagem incorporada Entre o inicio e o final do processamento levou 1ms. Até aí, tudo bem, se não fosse o fato dessa tabela ter o campo timestamp como parte da chave primária. Se reparar, o tempo é definido em milissegundos. Com o Coldfusion esse processo dura cerca de 20ms. Simplesmente migrando para Go, o tempo caiu muito, para menos de 1ms e assim, começou a dar erro de chave duplicada. A solução? Depende, sempre depende. No nosso contexto, a mais simples foi feita, pois nã

Baixo índice de acidentes no Brasil


Dirijo 140 KM todos os dias pela BR101, desde de Março de 2006, então posso falar com uma certa tranquilidade: o número de acidentes no Brasil é baixo. Sim, isso mesmo. É baixo. A quantidade de infrações que eu vejo todos os dias assusta. É tamanha a quantidade de barbeiragens, motoristas mal preparados, desatentos, que o número de acidentes é realmente baixo, não estou brincando nem sendo irônico.

Os principais problemas que vejo são:

1. Mudar de faixa sem sinalizar. Cerca de 80% dos motoristas não sinalizam. Eles acham que estão sozinhos no mundo ou que as pessoas já desenvolveram o dom de prever o futuro. Aviso: ainda não!

2. Não olhar ao trocar de faixa. Para alguns, é automático, viram o volante e com a mesma mão ligam o pisca. O problema é que o pisca é para sinalizar a intenção, e se é intenção é antes, e não durante o ato.

3. Dirigir da faixa da esquerda sem ninguém na direita. Normalmente, eles saem, mas antes eles te seguram por um tempo. Acho que sentem prazer nisso. Como eu procedo: primeiro chego próximo, se o cidadão não sai. Dou o pisca. Se o infeliz ainda não sai. Luz alta nele! Se não sai... vai para PQP!

4. Não olhar para a frente. Não digo olhar para a frente do carro, olhar o que está acontecendo lá na frente, a 200, 300, 500 metros (ou mais, se as condições permitirem).

5. Tem motorista que não gosta de ser ultrapassado. Você olha lá de longe e vê que ele está devagar, digamos a 80 KM/h. Você vai se aproximando e ele vai aumentando a velocidade. O pior é que depois que você o ultrapassa ele volta a velocidade normal. Uma vez teve um velhinho com uma Mercedes que não gostou quando o ultrapassei com o meu Uno 1.0. Ele acelerou mas o Uno era valente e foi até 170, sifu, otário! Aqui tem braço!  (e pé!). HAHAHAHAHA. O velhinho recuou por volta de 150 (talvez tenha infartado, sei lá!). Parece que ofende a masculinidade deles ao serem ultrapassados. Falo isso porque quase a totalidade são homens.

5. Espertinhos. Basta parar o trânsito, que eles aparecem. Em bandos. Queria ter um FNM para ver se iam passar pela minha direita! Ah, como queria.



Agora sabem porque isso acontece? Motoristas mal preparados nas auto-escolas e principalmente, falta de fiscalização. Em 6 anos de BR 101 (cerca de 3000 viagens), passei por menos de 10 fiscalizações com radar.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Netflix não mostra ícone de streaming

Google Hacking

FTP não funciona no PHP